postheadericon BANPARÁ recua, juros caem e servidor volta a respirar aliviado

Avaliação do Usuário: / 14
PiorMelhor 

BANPARÁ RECUA, JUROS CAEM E SERVIDOR VOLTA A RESPIRAR ALIVIADO

Tudo começou no dia 03/08/2011, em uma reunião da Direção do SINJEP com a Direção do Banco do Estado do Pará - BANPARÁ. Após a reunião, o Sindicato deu entrada no Ofício nº 020/2011 (protocolo n. 2011001043763), propondo à Presidência do TJPA a intermediação junto ao Banco do Estado do Pará de uma nova linha de crédito para empréstimo Parcelado Pessoa Física com prazos maiores e taxas subsidiadas para os Servidores da casa, com objetivo de acabar de uma vez com o então famigerado BANPARACARD, produto do BANPARÁ, o qual hoje explora os funcionários públicos com uma taxa altíssima de 5,49% de juros e prazos máximo de 24 meses, mesmo sendo sabedor que a conta do TJPA

e dos funcionários estão vinculadas aquela Instituição, na qual não paga e nem oferece nenhum produto ou serviço diferenciado de seus congêneres pela captação a custo zero. Serão aproximados 1.600 trabalhadores da Justiça Paraense beneficiados, e que estão em uma situação bastante delicada. Para o presidente do SINJEP, Fábio Bessa, esta conquista já pode ser considerada uma das maiores deste Sindicato. O grande objetivo é oferecer ao trabalhador a possibilidade de quitar sua eterna divida com o BANPARÁ. Segundo o presidente do Sindicato, em um prazo curto, essa conquista do SINJEP poderá beneficiar todo o funcionalismo público estadual, não apenas do Judiciário. Ressalta ainda que, na situação atual, o Servidor é o único penalizado, boa parte do seu salário é destinada ao pagamento de juros. Não conseguindo o trabalhador amortizar sua dívida durante a vigência do contrato.

Esta situação se arrastou há anos. Na atual conjuntura, pagar 5,49% ao mês de juros traz transtorno aos Servidores, diz o presidente do SINJEP, já que os juros dos bancos congêneres não ultrapassam os 2%. Com a nova modalidade de empréstimo conseguida pelo Sindicato, vai sobrar dinheiro no bolso do trabalhador e ele poderá investir mais no seu Bem-Estar e dos seus familiares, saindo do sufoco.

A finalidade desta nova modalidade de crédito é migrar todos os saldos devedores vinculados ao BANPARACARD, reduzir a parcela e aumentar o prazo de pagamento, para ajudar o servidor do Judiciário a se livrar desse mar de dívidas e das garras dos agiotas.

Para o vice-presidente do SINJEP, Manoel Junior, a economia no salário do Servidor é considerável. Além dessa nova modalidade de crédito debitada na Conta Corrente, o Servidor terá outra opção, o Empréstimo Consignado, liberado de acordo com a margem consignável e descontado em contracheque.

O mais gratificante para nós do SINJEP é saber que Servidores que antes não teriam condições de pagar a matrícula do colégio dos filhos, hoje com a economia de 55% nos juros da dívida com o BANPARACARD, esse problema foi solucionado.

Tivemos exemplos de colegas que visitaram o Sindicato e informaram que pagavam por mês R$ 2.300,00 só de juros para o BANPARÁ, hoje, depois da migração para a Nova Linha de Crédito, sua dívida com o Banco reduziu para R$ 1.200,00 e durante todo o período de pagamento, sua economia chegará a mais de R$ 35.000,00.

 

comentários  

 
0 #4 10-02-2012 11:14
Estou indo agora mesmo n BANPARA ver essa negociação. Fiz empréstimo pelo banparacard em dez/2011 e taxa foi cobrada em 5,49%.
valeu SINJEP Deus abençoe.
Citar
 
 
0 #3 25-01-2012 12:14
Valeu Colegss do SINJEP, A VITORIA DO BANPARACARD, foi um sonho realizado.
Citar
 
 
0 #2 25-01-2012 07:49
VITORIA JUNTO AO BANPARA FOI HISTÓRICA, UM SONHO QUE PARECECIA QUE NUNCA IRIA VIRAR REALIDADE. NEM ACREDITO QUE SAI DAQUELE MAR DE DIVIDA. VALEU SINJEP . VALEU MANOEL JUNIOR VOCE É O CARA.
Citar
 
 
0 #1 24-01-2012 08:36
Por que fui no Banpará, em Tucuruí, ontem e fui informado que o sistema de empréstimo consignado pelo TJE ainda está em fase de implantação. Não consegui empréstimo nenhum. Só teria conseguido o Banparacard de 5,49%.
Citar
 

Comentar


Código de segurança
Atualizar